sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Desculpem-me: falta inspiração

Já escrevi em duas dezenas de folhas, mas nada saiu. O que foi produzido julguei ser imprestável, um lixo, pouco para bons leitores. Meus leitores merecem mais. Não devo subestimá-los. Nunca faria isso. Mas estou vivendo um período de abstinência textual produtiva. Não sai nada. O que sai vai para o lixo. Não é um texto de verdade, tecido, confeccionado com as honrarias peculiares aos clássicos. Já leral as crônicas do eterno e lírico Rubem Braga? Fico com vergonha quando apresento estes textos opacos, sem brilho, sem vida. Que falta faz a inspiração. Rica, cheia de argumentos, composta de filigranas. Ela vive. Está próxima. Não sei se vou encontrá-la. Está difícil.
Eloá foi assassinada pelo descontrole emocional de seu ex-namorado e o despreparo de nossa polícia, eu nada escrevi, publiquei um texto de poucas linhas, sem novidades, simples. A Bolsa de Valores sobe e desce e eu aqui sem nada escrever. As eleições estão próximas do desfecho, o Segundo Turno é no domingo (26) e os meus leitores sem a minha opinião. Assassinaram minha inspiração. Onde se encontra Camões que não canta mais?Fernando Pessoa, Machado de Assis, Lima Barreto, Mário Quintana fazem falta.
Desculpe-me: hoje não consegui escrever. Espero ter sorte, ou seja, inspiração da próxima vez.

Um comentário:

Marcos de Oliveira disse...

Oi Sergio! Li seu artigo e fiquei preocupado, por isso escrevo-te com o propósito de incentivar-te, sei que a inspiração é fundamental, principalmente para um escritor, sei que o momento que vive é muito intenso, apesar do longo descanso forçado, viagens, mudanças, política, tudo isso é muito intenso para uma mente ativa, mas não se pode cobrar-se tanto, sei que um texto inspirado entusiasma o próprio escritor! Porem não se pode deixar de escrever por achar que é um texto simples, o mesmo pode ser inspirador para outros, e a repetição leva a perfeição, também acho que podes buscar inspiração nas coisas simples da vida: na família, natureza, lembranças, no descanso e no amor ao próximo. Buscar inspiração pode parecer pretensioso, inspiração surge! Quando menos esperamos. Quando ela vier curta ao máximo aquele momento.