quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Um sábio e a verdadeira aula

Acabamos de conversar a poucos minutos. Eu, Priscila e Bolívar. A minha filha Bia só apareceu depois de quase duas horas ininterruptas de sono. Falo isso porque nossas gargalhadas e, às vezes, num tom que ultrapassava alguns decibéis não foram capazes de insultar ao sono profundo em que nossa guria se encontrava. Prazeres para os dois lados, nós que conversávamos e nossa menina que descansava.

O nosso amigo Bolívar é um professor de História, especialista em História da África, um homem que já viajou por toda a América Central, visitou diversos locais brasileiros e sempre nos traz um sorriso de algo novo que conquistou. Insiste que há muito ainda a viajar. É a verdadeira história. Rico em seus conhecimentos, conhecedor da palavra, amante da leitura, adepto da biodança, um homem que parece já ter vivido tudo... Não viveu, clama por mais e sua disposição é tamanha que impressiona a todos.

Confesso que todas as vezes que nos vemos, já fazia três anos que não conversávamos, pois eu estava residindo no Estado de São Paulo, sentia falta dos seus ensinamentos. Hoje foi diferente, reencontrei-me com um mestre, o sábio, aquele que é capaz de levantar o seu astral com sabedoria, diferente dessa meia-dúzia de escribas de auto-ajuda.

Propostas de trabalho, livros, viagens, amores, literatura, norma culta da Língua Portuguesa, História da África, palestras, política, enfim fui agraciado com uma aula de verdade.

Um comentário:

Priscila Sant'Anna: disse...

E esses são os momentos que não têm preço na vida, não é meu amor?

A boa conversa, de conteúdo, ainda por cima com gente amiga e do bem. É uma das coisas que sempre tivemos (e sempre teremos) por aqui.

Beijos
Pri