sexta-feira, 29 de março de 2013

Diálogo para moucos?


Não acredito numa democracia ausente das manifestações. Possuímos sim o direito de falar, lutar pelos nossos ideais e mais, manifestar a nossa indignação diante daquilo que julgamos estar errado para com os cidadãos.
            Na última semana a cidade de Porto Alegre que sofre com os congestionamentos constantes devido ao comprimir de suas vias tornando o trânsito da capital gaúcha lento e as diversas construções pelas ruas e avenidas, que tentam enobrecer a cidade para a Copa do Mundo de 2014, teve mais uma manifestação organizada por estudantes e demais cidadãos indignados com o aumento da passagem dos ônibus para o valor de R$3,05.
            As constantes passeatas e atos defronte ao Paço Municipal são frutos dessa avassaladora forma de governar exercida por estes que comandam a Capital dos Gaúchos e nada mais justo, quando o diálogo é ignorado por aqueles que tomaram o poder pelo voto popular bradando democracia, que haja manifestações. O “povo unido, jamais será vencido”, mostrou-nos que no passado e em atitudes mais recentes espalhadas pelo mundo, somos sim merecedores de respostas e que juntos podemos sim! Nada pode ser ignorado ao cidadão que com suas parcas economias paga os seus impostos que a cada mês aumentam abruptamente. Somos merecedores de respostas e de atitudes sérias que não acabem com o sonho e nem um futuro promissor ao cidadão.
            Aqueles que trabalham, estudam, ou mesmo aqueles que buscam o seu emprego não podem sofrer penalidades impostas pelos nossos governantes que não sabem o que é andar de ônibus, diante de frotas sucateadas, motoristas insanos e irresponsáveis, além da permissividade de cobradores que “ajeitam” passagens aos seus comparsas e, ainda levam um trocadinho para casa ao burlar o falível sistema de tecnologia imposto para as cobranças. Não tratamos aqui do discurso contra os motoristas e cobradores que vivem duramente o cotidiano, mas não podemos abafar o Sol com a peneira, pois são falhas e já que o aumento é um decreto estas burrices necessitam serem sanadas.
            Quanto ao ato mostrado pela ótica das redes de televisão vendidas aos reacionários, vimos atitudes que não cabem à nossa juventude, muito menos destruir com o patrimônio público e sair bradando vitória. Não é assim que conquistamos os nossos direitos, mas prender uma jovem nos calabouços imperiais da Prefeitura de Porto Alegre em represália a esta atitude é algo que nos remete à Ditadura Militar, coisa que não acreditava sair das entranhas de homens obrigados a lutar contra os milicos. E parece que hoje muito que ali realizam, naquele prédio democrático, perdeu-se com os duros golpes de cassetetes e portas fechadas.

            Devemos prezar pelo diálogo acima de tudo, algo que não aconteceu por parte do Executivo antes do aumento dos preços. É interessante que o povo nunca é consultado, mas acaba pagando pelos abusos de um governo que se dizia democrático. O povo precisa protestar, com parcimônia, e deve ser ouvido pelas orelhas sujas e moucas que se instalaram no Paço Municipal de Porto Alegre.

Um comentário:

Marcos de Oliveira disse...

Oi Sergio, tudo bem, como a Pris está? O pai disse que ela já ganhou o bebê. Parabéns, que essa criança traga muitas alegrias pra vcs, assim como a Bia...
não estou achando vcs no facebook, manda um bj pra Pris diz pra ela que estamos torcendo pra tudo dar certo.
meu email oliveira.tb@hotmail.com

Gesiel